16 Filmes sobre Roteiristas e seus dilemas para escrever

Compartilhe

Escrever um roteiro é uma tarefa que exige habilidades técnicas, estilo pessoal e uma boa dose de talento. Entretanto, mesmo com as técnicas estilísticas e narrativas, às vezes falta aquela centelha que faz brotar as ideias para um texto de sucesso. Histórias de escritores que se deparam com o temido “branco” não são poucas. Da mesma forma existem histórias de escritores com seus surtos criativos que surgem inesperadamente. Pra homenagear essas mulheres e homens geniais e seus processos criativos, elaboramos essa lista com 16 filmes sobre roteiristas.

 

Trumbo (2016)

Esta cinebiografia escrita por John McNamara se baseia em fatos reais, sobretudo na situação em que o protagonista escrevia sob pseudônimos e isso gerou uma entrega de Oscar sem ninguém para receber.

O roteirista Dalton Trumbo (Bryan Cranston) tem uma história singular em Hollywood: apesar de ter escrito algumas das histórias de maior sucesso da época, como A Princesa e o Plebeu (1953), ele se recusou a cooperar com o Comitê de Atividades Antiamericanas do congresso e acabou preso e proibido de trabalhar. Mesmo quando saiu da prisão, Trumbo demorou anos para vencer o boicote do governo, sofrendo com uma série de problemas envolvendo familiares e amigos próximos.

 


Virando a Página (2014)

Keith Michaels (Hugh Grant) já foi um roteirista de sucesso, vencedor do Oscar, mas décadas mais tarde, a fama desapareceu e ele enfrenta graves problemas financeiros. Por isso, este homem amargo e machista aceita dar aulas de roteiro para universitários, embora despreze a profissão de professor. Durante os cursos, ele deve lidar com a sua fama, com a falta de prática no ensino e com a atração pela mãe solteira Holly Carpenter (Marisa Tomei), que decide assistir às suas aulas.

 


Meia-noite em Paris (2011)

Gil (Owen Wilson) sempre idolatrou os grandes escritores americanos e sonhou ser como eles. A vida lhe levou a trabalhar como roteirista em Hollywood, o que fez com que fosse muito bem remunerado, mas que também lhe rendeu uma boa dose de frustração. Agora ele está prestes a ir a Paris ao lado de sua noiva, Inez (Rachel McAdams), e dos pais dela, John (Kurt Fuller) e Helen (Mimi Kennedy). John irá à cidade para fechar um grande negócio e não se preocupa nem um pouco em esconder sua desaprovação pelo futuro genro. Estar em Paris faz com que Gil volte a se questionar sobre os rumos de sua vida, desencadeando o velho sonho de se tornar um escritor reconhecido.

 


The Dying Gaul (2005)

Los Angeles, 1995. O roteirista Robert Sandrich (Peter Sarsgaard) vai até um estúdio, pois o produtor Jeffrey Tishop (Campbell Scott) quer comprar “The Dying Gaul”, uma história de Sandrich. Ele está muito interessado em vender o roteiro, pois precisa muito do dinheiro, mas não está disposto em fazer algum tipo de concessão, pois o texto é bastante autobiográfico. Robert, que é homossexual, o escreveu após a morte do seu amante, Malcolm Cartonis (Bill Camp), que também era seu agente. Desta forma Sandrich decide ele mesmo negociar com Jeffrey. Jeffrey apresenta sua esposa, Elaine (Patricia Clarkson), para Robert e deixa bem claro que não o quer apenas como roteirista. Paralelamente Sandrich fica cada vez mais íntimo de Elaine.

 


Luzes, Câmera, Ação (2004)

Luzes, Câmera, Ação é um filme que mistura a indústria do cinema, a máfia e o FBI em uma trama muito engraçada. Depois de anos de fracasso, o roteirista de Hollywood Steven Schats conhece Joe Devine, um produtor que patrocina seu filme e o transforma em diretor. Mas Devine, na verdade, é um agente do FBI que usa o filme em um plano para derrubar a máfia.

 


Adaptação (2003)

Esse filme, além de um belo exemplo de metalinguagem, ainda é praticamente autobiográfico, pois trata das dificuldades do próprio Charlie Kaufman em adaptar um roteiro do livro da história. Ao se deparar com um inesperado bloqueio criativo e ele recorre ao guru de roteiros, Robert Mckee. Diversas passagens reais de seu processo de escrita foram inseridos no filme.

Charlie Kaufman (Nicolas Cage) precisa de qualquer maneira adaptar para o cinema o romance “The Orchid Thief”, de Susan Orlean (Meryl Streep). O livro conta a história de John Laroche (Chris Cooper), um fornecedor de plantas que clona orquídeas raras para vendê-las a colecionadores. Porém, além das dificuldades naturais da adaptação de um livro em roteiro de cinema, Charlie precisa lidar também com sua baixa auto-estima, sua frustração sexual e ainda Donald, seu irmão gêmeo que vive como um parasita em sua vida e sonha em também se tornar um roteirista.

 


Cine Majestic (2001)

Em plena década de 50, Peter Appleton (Jim Carrey) é um jovem e ambicioso roteirista de cinema que se torna, por engano, alvo do macarthismo. Acusado de seguir a doutrina comunista, ele perde seu emprego e acaba sofrendo um acidente em que seu carro cai em um rio. Sem memória e levado pela correnteza para perto de uma pequena cidade do interior da Califórnia, ele acaba sendo confundido com Luke Trimble, o filho do dono da sala de cinema local, que desapareceu em meio a 2ª Guerra Mundial. Após assumir a identidade de Trimble, ele então redescobre a magia do cinema ao iniciar a reforma da sala e prepará-la para sua reestreia.

 


Deu a Louca nos Astros (2000)

Para rodar um novo filme, uma equipe hollywoodiana desembarca na cidade de New England, no nordeste dos Estados Unidos. Durante as gravações, o astro do filme (Alec Baldwin), uma celebridade destruidora de corações, flerta com uma adolescente local (Julia Stiles). Ao mesmo tempo, o roteirista Joseph Turner White (Philip Seymour Hoffman), testemunha do romance e com valores puritanos, entra em um dilema entre as pressões do diretor e o rumo de sua carreira.

 


A Musa (1999)

Num belo dia, o escritor de roteiros de filmes Steven Phillips está se aquecendo para ter a honra de receber um prêmio humanitário, num jantar de gala onde está presente toda a sua orgulhosa família. Algum tempo depois, um executivo de um grande estúdio lhe diz que ele está perdendo sua veia criativa e rescinde seu contrato. A confiança de Steven fica então abalada: ele quer trabalhar, mas como pode se na hora de escrever as palavras fogem de sua mente? Desesperado por um conselho, Steven visita seu amigo Jack Warrick, um escritor de sucesso que vive em Bel Air, que lhe confidencia que seu sucesso se deve à uma musa inspiradora. Incrédulo, mas ao mesmo tempo desesperado por uma solução, Steven pede a Jack que o apresente à musa, para que possa voltar aos áureos tempos.

 


Art Museum by the Zoo (1998)

Afastado do exército, Cheol-Soo chega ao apartamento de sua namorada apenas para encontrá-lo ocupado por outra mulher, Choon-hee. Depois de alguns dias, ele descobre que sua namorada está noiva de outra pessoa e, sem ter mais para onde ir, acaba ficando com Choon-hee. No começo os dois lutam para se dar bem, mas logo Chul-Soo descobre que ela está escrevendo um roteiro para entrar em uma competição, e eles acabam trabalhando em uma história juntos baseados em suas próprias experiências de amor.

 


Barton Fink (1991)

Este excelente filme autoral dos irmãos Coen é um misto de metalinguagem e sátira ao universo da indústria cinematográfica.

Nova York, 1941. Barton Fink (John Turturro) é o dramaturgo do momento e toda a Broadway, além da imprensa, se curva ao seu talento. Como conseqüência Fink vai para Hollywood para escrever um roteiro para um filme B, que aborda a luta livre. Ele se hospeda em Los Angeles no Earle, um hotel de segunda categoria, mas o objetivo de Fink é ficar longe de tudo e todos e se concentrar no seu roteiro. Porém, ele é atingido por um bloqueio de escritor de tal natureza que não consegue escrever nada. Charlie Meadows (John Goodman), seu vizinho, um amigável vendedor de seguros, tenta ajudá-lo mas diversos acontecimentos bizarros aliados a um calor infernal surgem na vida de Barton. O ápice de tudo é quando se vê envolvido em um assassinato que deixa Barton totalmente desesperado e à beira de um ataque de nervos.

 


Amigos Muito Íntimos (1982)

Filme baseado na história real dos roteiristas Barry Levinson e Valerie Curtin. Famoso casal de roteiristas de Hollywood leva vida perfeita e decide casar-se. Mas tudo vai de mal a pior quando eles resolvem conhecer suas respectivas e esquisitíssimas famílias.

 


Testa de Ferro Por Acaso (1976)

Mais um filme sobre a temida lista negra e roteiristas que eram perseguidos. Apesar do tom de ficção, o filme traz situações reais, já que o roteirista e o diretor estavam realmente na lista do Comitê de Atividades Antiamericanas.

Woody Allen (que não participou da produção, mas atuou para dar mais força à crítica proposta) interpreta um caixa de restaurante que, após seu amigo ter entrado para a lista negra do McCarthismo, fazendo com que ninguém mais lhe oferecesse trabalho, é transformado em “testa de ferro” e passa a assinar os seus roteiros. Após ter alcançado sucesso na mídia, é procurado por outros dois roteiristas, e passa a assinar os trabalhos dos três. Porém, as coisas não saem como o esperado, e ele logo descobre que também terá de enfrentar a lista negra. Crítica ácida ao período da lista negra, escrito e dirigido por dois autores que tiveram seu nome incluso nela, na década de 1950.

 


O Desprezo (1963)

Considerado um dos melhores filmes de Jean-Luc Godard e estrelado por Brigitte Bardot, trata-se de uma forte crítica à indústria cinematográfica norte americana. Uma participação especial do próprio Fritz Lang serviu para acentuar ainda mais as críticas.
Paul Javal é um roteirista que vai a Roma para trabalhar em uma adaptação da obra A Odisseia, que contará com a direção do cineasta alemão Fritz Lang. Enquanto decide os últimos detalhes para aceitar o trabalho, sua relação com a esposa, Camille, começa a desabar, em um jogo de paixão, ciúmes e desprezo.

 


Crepúsculo dos Deuses (1950)

No início um crime é cometido e uma voz em off começa a narrar que tudo começou quando Joe Gillis (William Holden), um roteirista fugindo de representantes de uma financeira que tentava recuperar o carro por falta de pagamento e se refugia em uma decadente mansão, cuja proprietária, Norma Desmond (Gloria Swanson), era uma estrela do cinema mudo. Quando Norma tem conhecimento que Joe é roteirista, contrata-o para revisar o roteiro de Salomé, que marcaria o seu retorno às telas. O roteiro era insuportável, mas o pagamento era bom e ele não tinha o que fazer. No entanto, o que o destino lhe reservava não seria nada agradável.

 


No silêncio da noite (1950)

O roteirista Dixon Steele (Humphrey Bogart) é conhecido por ter um temperamento bem explosivo, o que dificulta um pouco sua carreira. Steele tem a chance de recomeçar roteirizando um livro de grande sucesso, mas como não quer ler o livro convida para ir na sua casa a funcionária da chapelaria Mildred Atkinson (Martha Stewart), para lhe contar a história com suas próprias palavras. Mas naquela mesma noite a garota é morta e Steele é o principal suspeito. Para sua sorte Laurel Gray (Gloria Grahame), sua amável vizinha, lhe proporciona um álibi. Laurel era exatamente o que Steele precisava e a amizade deles rapidamente se transforma em amor, mas talvez as desconfianças, dúvidas e demônios internos de Dixon atrapalhem essa relação.

 


 

Avaliação do Cinéfilos Anônimos
Avaliação dos Visitantes do site
[Total: 0 Média: 0]

CONTEÚDO RELACIONADOS

Compartilhe

Tercio Strutzel ama histórias, seja no cinema, séries, livros ou quadrinhos! Foi editor do fanzine Paralelo, mas hoje quase não consegue desenhar. Se especializou em Presença Digital, mas tem diversos projetos fervilhando na mente. Está sempre em busca de atividades culturais por São Paulo.