A Macabra lista oculta do terror nacional

É certo que se você assistir aos 10 filmes desta lista, algum demônio te rogará uma praga. Então eu te desafio a ler este artigo, conferir a nossa lista e depois, claro, assistir a todos os filmes. E ai, desafio aceito?

O gênero de terror ainda é algo pouco explorado no cinema brasileiro (Existe cinema de gênero do terror no Brasil?), mas uma boa parte da galera que tem produzido curta-metragem está cada vez mais presente no cenário nacional, principalmente no que diz respeito ao terror/suspense. Com isso, aos poucos, o gênero começa a ser mais explorado no nosso cinema, exemplo de “O Rastro” que estreia dia 18 de maio nos cinemas. Dirigido por JC Feyer, o filme tem uma proposta muito interessante ao trazer referências ao terror americano misturadas com a assinatura do cinema nacional, sem perder a nossa identidade.

Algumas produções de terror já tiveram grande destaque durante décadas no Brasil, principalmente devido ao talentoso e incansável José Mojica Marins, que, nos anos 60, criou seu próprio personagem e virou marca registrada nas produções brasileiras sobre o gênero, o famoso Zé do Caixão. O personagem do terror e do suspense já foi até elogiado pelo consagrado cineasta Tim Burton, que, quando veio ao Brasil, fez questão de dizer pessoalmente a Mojica que sempre se espelhou nos filmes do Zé do Caixão, utilizando muitas técnicas e referências do cineasta brasileiro em suas obras.

Impulsionado por filmes do Zé do Caixão, o terror e o suspense no Brasil, uma vez ou outra, tem algumas produções lançadas, porém nem sempre lembradas pelos brasileiros. Pensando nisso, fizemos uma lista para indicar alguns bons filmes nacionais de terror que valem muito a pena assistir.

Já que o Zé do Caixão é o nosso mestre do terror, começaremos a lista com três filmes top do personagem e, em seguida, outras produções nacionais que merecem muito destaque.

 

Confira:

À Meia Noite Levarei a sua Alma (José Mojica Marins, 1964)

meianoiteTalvez esta seja a maior obra do lendário Mojica e um ótimo filme para os amantes do gênero. O longa é considerado a porta de entrada do personagem e do cineasta e nos faz entender o quanto é genial e subversivo o cinema feito por Mojica.

Sinopse: O cruel e sádico coveiro Josefel Zanatas, conhecido como Zé do Caixão, é temido e odiado pelos moradores de uma cidadezinha do interior. Ele é obcecado por gerar o filho perfeito, que possa dar-lhe a continuidade de seu sangue.

Mas sua esposa não pode engravidar, e ele acredita que a namorada de seu amigo seja a mulher ideal que procura. Após ser violentada por Zé, a moça jura cometer suicídio para retornar dos mortos e levar a alma daquele que a desgraçou.

 


A Encarnação do Demônio (José Mojica Marins, 2008)

Depois de um longo hiato, Zé dfilmes_58_filmes_58_foto9o Caixão volta ao cinema com um filme muito bonito de se ver, a produção mais cara de Mojica. Infelizmente o longa não fez o sucesso que imaginaram, mas é uma obra necessária para os amantes do terror.

Sinopse: Após 40 anos preso, Zé do Caixão enfim é libertado. De volta às ruas, ele está decidido a cumprir sua missão: encontrar uma mulher que possa gerar seu filho perfeito. Caminhando pela cidade de São Paulo ele enfrenta leis não naturais e crendices populares, deixando um rastro de sangue por onde passa.

 


Esta Noite Encarnarei no teu Cadáver (José Mojica Marins, 1966)

Foi o longa quEsta noite encarnarei e consolidou a carreira do cineasta, tornando-se o maior clássico do terror nacional.

Sinopse: Zé do Caixão ainda está em busca da mulher perfeita para dar a luz ao seu filho, e, com a ficha limpa pelos crimes cometidos no passado no primeiro filme (À Meia-Noite Levarei Tua Alma), continua aterrorizando a população de sua pequena cidade com suas sádicas e iconoclastas práticas.

 


A Noite do Chupacabras (Rodrigo Aragão, 2011)

the-night-of-the-chupacabras-5-600x400Banho de sangue e violência são as marcas deste filme. Chupacabras, tiros, cortes, mordidas, rasgões, socos, chutes e facadas, tudo misturado e dando um ar de terror nesse ótimo longa.

Sinopse: Um jovem casal retorna para a sua terra de origem, no interior do Espírito Santo, numa jornada por entre florestas e montanhas repletas de mistérios, lendas e belezas naturais. Douglas reencontra os parentes transtornados pela morte misteriosa de todos os animais da fazenda e os velhos conflitos que desde o passado atormentam duas famílias rivais. Os irmãos Silva estão cada vez mais certos da vingança planejada pelos Carvalho, porém, o pai sabe que algo muito mais sinistro se esconde na mata. As famílias em guerra, se deparam com um mal maior do que eles podem mensurar. Entre brigas, perseguições, caçadas e muitos tiros, a mítica figura do Chupacabras apresenta pela primeira vez sua face assassina.

 


Zombio 2- Chimarrão Zombies (Petter Baiestorf, 2013 )

zombio-2Um filme extremamente doido, e com orçamento bem baixo, mas com uma qualidade incrível para quem gosta de zumbis e de muita nojeira. Todos os ingredientes para um bom filme trash é encontrado nessa obra-prima do nosso cinema nacional

Sinopse: Zumbis, zumboas, recém-falecidos e mais uma gama de coloridos mortos-vivos melequentos tomam conta da região rural do Oeste de Santa Catarina e vísceras rolam ao doce sabor da erva-doce Cronenberg. Mas os zumbis, neste caso, são o menor dos dos problemas quando a fauna humana se revela em sua plenitude sádica e egoísta.

 


Desaparecidos (David Schurmann, 2011)

desaparecidosO filme pega referências de filmes como A Bruxa de Blair e [REC] – Desaparecidos. Apesar destas pegadas, o filme não chega a assustar muito. Mas vale a pena conferir esta produção de David Schurmann.

Sinopse: Outubro de 2011. Uma festa VIP, em Ilhabela no litoral paulista. O convite? Uma câmera de vídeo que deve ser usada o tempo todo. Ela registra, aleatoriamente, imagens sem você saber quando vai ligar.

Parece a festa perfeita? Não para um grupo de amigos, que colocou o pé na estrada rumo à última balada de suas vidas.

Dias depois de desaparecerem sem explicação, as autoridades encontraram seis câmeras abandonadas na mata. Nelas as aterrorizantes imagens do que realmente aconteceu com os desaparecidos e porque as autoridades mantiveram segredo.

Você quer mesmo saber a verdade?

 


Trabalhar Cansa (Juliana Rojas e Marco Dutra, 2011)

trabalhar-cansa21O filme tem um cunho psicológico e também carrega uma crítica social em sua trama.

Sinopse: Helena, jovem doméstica, decide montar o seu primeiro negócio: uma mercearia de bairro. Contrata então Paula para tratar da filha e da casa. Mas quando Otávio, o marido de Helena, fica desempregado, as relações entre as três personagens mudam de repente. Acontecimentos inquietantes começam então a ameaçar o comércio de Helena.

 

 


Diário de um Exorcista – Zero (Renato Siqueira, 2016) 

O longa é baseado em fatos e conta a história do padre Lucas Vidal, um dos maiores padres-exorcistas da América Latina – Lucas Vidal é um homem que decide dedicar sua vida à obra da igreja após uma tragédia envolvendo seus pais. Ele, entretanto, não estava preparado para enfrentar o seu maior inimigo: o próprio Diabo, que cruza seu caminho através de uma violenta possessão do tinhoso – para o qual, Lucas é chamado à trabalhar de exorcista. O caso, entretanto, sai do controle, e ele irá enfrentar sérios problemas para distinguir quem são os que estão sob a influência do caramunhão.

 


O Caseiro (Julio Santi, 2016)

nonameLembra dos corredores do hotel do filme “O Iluminado” (1980), onde o Jack Nicholson interpretava um caseiro durante o inverno agressivo?

Se você já gostou do garoto andando com o velotrol nos corredores, você vai gostar das tomadas que verá em “O Caseiro”.

Sinopse: Suspense que conta a história de Davi, um cético professor de psicologia, famoso por escrever um livro que explica aparições sobrenaturais através da psicanálise. Após anos sem atender pacientes, ele, com o intuito de escrever um novo livro, viaja para uma cidade do interior para investigar a história de um homem que acredita que sua filha está sendo assombrada pelo fantasma do antigo caseiro de sua propriedade, que se suicidou.

 


Nervo Craniano Zero (Paulo Biscaia Filho, 2012)

maxresdefaultSabe aquele terror trash dos bons? Então, você encontra tudo isso neste filme. O filme é uma obra de arte em termos de cinema alternativo. Sim, é uma boa pérola do nosso terror.

Sinopse: A escritora de sucesso Bruna Bloch põe em prática um plano inescrupuloso para evitar que tenha uma crise criativa e saia da lista de autores mais vendidos: adquirir um chip indutor de descargas de dopamina que, quando implantado no cérebro humano, gera surtos de inspirações. Para isso, ela contrata os serviços do criador desta invenção, Dr. Bartholomeu Bava, que perdeu sua licença médica após um acidente nas pesquisas para criação do chip. Mas Bruna não quer implantá-lo em si mesma, e sim em uma cobaias humanas, a simplória garota Cristi.

 


E por último, a mais nova obra do cinema brasileiro no que diz ao gênero do terror:

O Rastro (JC Feyer, 2017)

Casal_0Com uma trama coerente, mesclada à qualidade técnica e atuações monstruosas, com destaque para Rafael Cardoso e seus olhos frenéticos, O Rastro entra para o hall dos grandes filmes para se orgulhar de ter em nosso cinema. Mesmo abusando de alguns clichês aqui e ali e confuso em alguns momentos, é um filme para engasgar com o refri e nem perceber que a pipoca acabou e que as unhas é que estão sendo consumidas cena a cena, agoniado.

 

Veja 7 motivos para ver O Rastro
O Rastro | Crítica

Sinopse: A trama acompanha João (Rafael Cardoso), um médico que precisa ajudar nas transferências dos pacientes de um hospital que será desativado em breve. Durante a noite, uma menina desaparece e João é arrastado para um pesadelo sem fim.

 


E você cinéfilo, é fã de terror? Indique para nós alguns filmes nacionais do gênero que não estão nessa lista.

 

Colaborou com o texto, Rodrigo Gueiros

Jornalista e paulistana, apaixonada por São Paulo e por toda a cultura e o lazer que esta cidade oferece. Desde pequena admirada pela sétima arte e fascinada por sua evolução e sua influência na vida das pessoas das mais diversas culturas e classes sociais.