A Primeira Noite de um Homem | Resenha – Oscar de Melhor Diretor 1968.

Compartilhe

Tivemos a sorte de assistir a esse clássico do cinema na telona em pleno 2018. A distribuidora Zeta Filmes trabalhou como uma máquina do tempo colocando de volta na bilheteria um título de 1967 e foi uma ótima experiência.

Enredo:

A história do recém formado Benjamin Braddock que está sem qualquer interesse a respeito de seu futuro profissional e pessoal. Não quer seguir carreira acadêmica, não quer trabalhar com aquilo que estudou. Não quer nada da vida, só pensa em continuar na mordomia que seus pais lhe proporcionam. Enfim, é uma história muito atual apesar de já ter passado mais de 50 anos.

A família de Benjamin conhece os Robinsons há décadas. Os Robinsons possui uma filha que cresceu com Benjamin e os dois ficaram muito próximos, mas os estudos distanciaram a família e os amigos de infância.

Anne Brancroft e Dustin Hoffman

Agora que Benjamin (Dustin Hoffman) está de volta na casa dos pais ele reencontra a Sra Robinson (Anne Brancoft) na sua festa de formatura promovida pelos pais. Ela é uma senhora muito atraente que faz a iniciação sexual de Benjamin na cena que deu o nome ao título em português. Agora Benjamin tem que se decidir quanto ao que quer da vida: ou continua o caso com a Sra Robinson que é casada e tem a idade da sua mãe, ou se luta pelo coração da filha Elaine Robinson (Katherine Ross). Esse dilema vai gerar muita confusão e uma crise familiar que vai afastar ainda mais a todos.

Até que Benjamin se decide e vai atrás do seu sonho. A cena final dura cerca de uns 10 minutos mostrando um jovem dirigindo acima da velocidade na rodovia e fazendo loucuras para chegar a tempo de conseguir o que deseja. Esse comportamento do jovem que quebra as regras, que não quer nada com nada, que vive entediado na casa dos pais sem motivação para nada está muito bem retratado e foi inovador para época. Esse filme ajudou a moldar a cultura americana e aconteceu no momento em que mudanças no mundo eram evidentes. No mesmo ano ocorria o festival Monterey Pop onde Jimmy Hendrix queimava sua guitarra, dois anos mais tarde o homem pisava na lua ao mesmo tempo em que The Who e Janis Joplin cantavam no Woodstock tentando dar um grito de 3 dias de paz enquanto milhares de jovens morriam na Gerra do Vietnã. Portanto é um filme que você, cinéfilo, deveria assistir em algum momento da vida.

Premiações

O filme recebeu sete indicações no Oscar de 1968. O diretor Mike Nichols ganhou o seu único Oscar nesse filme. E as interpretações geraram indicações de Melhor Ator para Dustin Hoffman, Melhor Atriz para Anne Brancroft, e melhor atriz coadjuvante para Katherine Ross.

Katherine Ross e Dustin Hoffman

Vale observar a fotografia desse filme que também recebeu uma indicação. Diversas vezes vemos um plano sobre outro, algo que entra na frente do que está focado e completa a cena. Até a cena da capa de divulgação mostra a perna da Anne Brancroft a frente do jovem Dustin Hoffman, e esse cuidado de usar a mesma câmera para mostrar duas coisas ao mesmo tempo deixando o foco principal sempre de frente com a câmera é muito legal de se ver.

“The Graduate”
Dustin Hoffman

A trilha sonora teve como base as músicas de Paul Simon e Garfunkel. Até o sucesso Mrs. Robinson foi criado exclusivamente para a personagem Sra Robinson desse longa.

Quanto ao título em Português.

O título original coloca o foco naquela fase do recém formado que ainda possui diversas dúvidas quanto ao seu futuro e essas incertezas lhe permite ter contato com novas experiências, o mundo está se abrindo para o recém formado que passou a vida estudando.

Entretanto a tradução feita tanto aqui no Brasil quanto em Portugal coloca o foco em uma das experiências que esse jovem recém formado teve após a sua graduação. Sim, é fato que Benjamin teve a sua primeira noite nesse filme. Mas se o foco do roteiro estivesse na primeira noite de Benjamin, certamente demoraria mais para acontecer a cena dele com a Sra Robinson, ou tudo o que viesse depois seria consequência do fato de ter sido a primeira vez dele. A crise familiar que Benjamin deixou nos Robinsons não foi pelo fato de ter sido sua primeira noite, o mesmo problema teria acontecido mesmo que tivesse sido a sua milésima noite. Por via de regra, sempre existe esse risco ao se envolver com alguém casado.

Enfim, o filme é excelente, a trilha sonora é muito boa, a música “The Sound of Silence” de Simon e Garfunkel é repetida em diversas cenas e dá o tom exato de cada momento. Se você estava esperando nossa opinião para ver esse filme, já tem nossa recomendação positiva.

Tem um bom divertimento. Se beber, não dirija.

 

Avaliação do Cinéfilos Anônimos
Avaliação dos Visitantes do site
[Total: 1 Média: 5]

CONTEÚDO RELACIONADOS

Compartilhe

Professor de exatas e músico baterista, sempre trabalhou com tecnologia como desenvolvedor. Leitor de quadrinhos de heróis e livros de ficção. Como fã da série Star Trek absorveu a lógica do Sr Spock e muito do comportamento social presente nos capitães das naves da Federação. Vida e longa e próspera a todos.