Anima Mundi 2018 | Já vimos uma prévia do que vai rolar no festival deste ano. Saiba mais

Compartilhe

No último dia 19, foi apresentado para imprensa no Caixa Belas Artes em São Paulo, uma prévia do que vai rolar no maior Festival de Animação da América Latina, foram exibidos 10 curtas-metragens de variados países e temas, estética e gêneros da animação. Dentro destes que a imprensa acompanhou, houve muito hibridismos entre eles tanto nos temas abordados, quanto na estética e nos traços. Temáticas densas e voltadas para os adultos também foram destaques entre as 10 animações que podemos acompanhar.

Antes de falar um pouco de cada animação que assistimos, vale lembrar que o Anima Mundi será realizado no Rio de Janeiro de 21 a 29 de julho e, em São Paulo, o evento começa já em seguida, no dia 1º de agosto e termina no dia 5 do mesmo mês. Para essa 26ª edição, foram selecionados 405 curtas, media e longas-metragens de 40 países. Algumas destas animações já foram premiadas em outros festivais renomados.

Então vamos conhecer um pouco das 10 animações que o Cinéfilos Anônimos teve o privilégio de acompanhar.

 

Guaxuma

Nara Normande – País: Brasil, França

Sinopse: Tayra e eu crescemos numa praia no nordeste do Brasil. Éramos inseparáveis. A brisa do mar me traz lembranças felizes de volta.

Guaxuma tem uma mistura de estéticas, vai do 2D, misturando com a técnica do stop motion e live action. A história reforça a amizade de uma maneira simples e carregadas de sentimentos. Praticamente ela se passa na areia beirando o mar e com isso traz uma metáfora de um ampulheta, o tempo vai passando, mas o amor entre as duas garotas atravessam o tempo e a distância.

 


Weekends (Fins de semana)

Trevor Jimenez – País: Estados Unidos

Sinopse: Um menino vive se deslocando entre as casas de seus pais recém-divorciados. Momentos surreais e oníricos se misturam com as realidades domésticas de uma família nos anos 80 em Toronto.

A década é a de 80, aqui, uma criança vive se deslocando entre a casa da mãe e a do pai nos fins de semana, já que ambos estão separados, na cidade de Toronto, as formas adultas que aparecem na vida de seus pais, parecem assusta-lo. O que se destaca aqui, é o roteiro muito bem desenvolvido, já que a narrativa não há diálogo algum, mas todo o sentimento é passado para o espectador através do aprofundamento dos personagem com a história. Os traços desenhados a mão e o cenário frio, transmite todo o sentimento do garoto.

 


Comportamento Animal (Animal Behaviour)

Alison Snowden e David Fine – País: Canadá

Sinopse: Lidar com o que acontece naturalmente não é fácil, especialmente para animais. Cinco animais reúnem-se regularmente numa sessão de terapia de grupo orientada por Dr. Clement, um psicoterapeuta canino.

Saindo de um temas mais pesados, essa talvez seja a que mas fez o público rir. Aqui, estamos em grupo de apoio, um Cão é o psicoterapeuta, dentro do grupo há Um porco, um gato, uma louva-a-deus, uma sanguessuga, um passarinho e logo depois um novo integrante chega, causado muitos problemas. É interessante como a terapia trata os problemas de cada animal através da suas características, mas todos eles de fato, é levado a ansiedade de cada um deles, apesar de ser sensível e trazer ótimas mensagens para os seres humanos, o resultado desta história toda não deixa de ser hilária.


Livre do Medo (Freedom From Fear)

John Morena – País: Estados Unidos

Sinopse: Madeleine, uma bala de canhão humana, faz um espetáculo itinerante com o marido. Mas em casa, todos os dias são iguais.

Esta animação tem uma pegada mais adulta, a rotina de um relacionamento desgastado e frio é muito bem explorada nos poucos mais de 10 minutos. A perda do amor, a falta de interesse de um pelo outro é narrado melancolicamente. Neste curta animado é utilizado a técnica claymation.

 


Happiness (Felicidade)

Steve Cutts – País: Reino Unido

Sinopse: A implacável busca de roedores pela felicidade e realização.

Este também tem uma narrativa mais adulta, talvez, dentro dos que foram apresentados é o mais cruel entre eles ao passar a sua mensagem. Neste curta, os ratos são a representação humana e sua implacável busca pela felicidade, uma crítica ao capitalismo e ao materialismo exagerado da sociedade atual.

 


Ride (Rolê)

Paul Bush – País: Portugal, Reino Unido

Sinopse: Um motoqueiro parte numa idealizada viagem de motocicleta pelo campo, rumo ao futuro. Uma homenagem ao icônico design de motos dos anos 1950 e 60.

Aqui nos deparamos com um tipo de stop motion, mas feito com fotografias e, como já diz na sinopse, o curta é uma homenagem aos designers das motos das décadas de 1950 e 60, não há muito acrescentar, mas sua linguagem visual chamam muita atenção.

 


A Origem do Som (The Origin of Sound)  

Paul Driessen – País: Bélgica, Holanda     

Sinopse: Gênesis, sétimo dia de manhã cedo. O Criador percebe que se esqueceu de adicionar som ao mundo! Ele começa a consertar isso usando sua estranha coleção de desenhos animados. Mas não ao gosto de suas criaturas…

Também voltado para o público adulto, o curta causa estranheza e flerta quase com o terror. A animação intercala entre o stop motion e o desenho, o interessante é que os desenhos te estilos diferentes para cada situação apresentada na história.

 


Leve o Coelho (Take Rabbit) 

Peter Peake – País: Reino Unido

Sinopse: Uma abordagem bem-humorada de um antigo dilema – um homem tenta transportar uma raposa, um coelho e um repolho em seu pequeno barco pelo rio, mas logo percebe que “deu um passo maior que as pernas”

A animação de traços minimalista tem um bom ritmo, as piadas aqui funcionam e encaixam perfeitamente dentro das inúmeras metáforas que o roteiro joga para o público. Imagine um ser humano ter que levar em um barco, um coelho, uma raposa e um repolho, mas cada um de uma vez, sendo que todos eles são predadores. O resultado é muito bom.

 


(OO)

Seoro Oh – País: Coreia do Sul

Sinopse: Os eventos que ocorrem nas narinas de uma pessoa.

É uma historia sobre sensações, todos os eventos aqui, ocorrem dentro da narina de uma pessoa. A sensação de incômodo que o nosso corpo contrai ao processo do espirro, o antes e o depois é muito bem executado nesta animação. Todo o desconforto deste processo traz um realismo as nossas sensações.

 


CURTA INFANTIL

 

As Cores do Cuco (Coucouleurs) 

Oana Lacroix – País: Suíça

Sinopse: Numa grande floresta onde os pássaros só têm uma cor, cada um vive na árvore que combina consigo. Mas o que acontece quando um pássaro tem duas cores?

Voltado para o público infantil, o curta trabalha de forma incrível com as diversidades, com o Bullyng, as crenças, o preconceito e o racismo e a compaixão. Num mundo onde todos os pássaros vivem somente com aqueles e aquilo que combinam com sua cor, um pássaro de duas cores começa a passar um dilema por não encontrar dentro desta enorme floresta, algo que lhe “representa” e passa a sofre nessa busca de aceitação e de socialização. De uma maneira maravilhosa, o curta passa para as crianças ótimas mensagem das quais foram citadas acima.

 


 

Mais informações:
http://www.animamundi.com.br/pt/

 

 

CONTEÚDO RELACIONADOS

Compartilhe

Publicitário, Designer e Crítico de Cinema. É obcecado por monstros gigantes e, talvez, o ser que mais assistiu Breaking Bad neste planeta. Raulseixista desde a infância, hiberna uma vez por ano nos alpes de Itapira, ouvindo 12 horas interrupta do Maluco Beleza