Crítica | Baseado em fatos reais, Atentado ao Hotel Taj Mahal reúne drama, ação e suspense

Em 2008, o grupo islâmico Lashkar-e-Taiba executou doze ataques pela Índia, concentrados principalmente na cidade de Mumbai, deixando 164 mortos e mais de 300 feridos. O filme Atentado ao Hotel Taj Mahal, do diretor Anthony Maras, mostra justamente esse triste episódio, mas mas foca especificamente no terror que os hóspedes de um hotel cinco estrelas da cidade passaram, quando foram feitos reféns por horas.

Apesar do filme ser baseado em fatos reais e até mostrar cenas gravadas na época, extraídas de telejornais, vale lembrar que nem tudo retratado de fato aconteceu. Quase todos os personagens de o Atentado ao Hotel Taj Mahal são fictícios, mas isso não impede do espectador sentir a tensão e o medo de se estar ali naquela situação, aparentemente, sem saída.

Esse é exatamente o grande trunfo do filme: a ação não demora a acontecer e em pouco tempo o clima de terror faz a gente ficar tenso na cadeira, esperando o desfecho.“Alguém vai sobreviver?”, “Qual decisão tomar em uma situação dessas?”, “Onde se esconder?”: muitos questionamentos passam pela cabeça enquanto a história se desenrola.

Cada um pela sua luta

O filme começa mostrando um grupo de terroristas chegando à cidade de Mumbai, prontos para promover uma série de ataques terroristas. Eles são orientados o tempo todo, por meio de celulares, por um homem, cuja identidade nunca é revelada. Mas, sua voz marcante e ameaçadora, é um elemento importante para promover a tensão e suspense no filme.

Os ataques se iniciam em locais diferentes da cidade, como a estação de trem e até nas ruas, mas o foco do filme é justamente mostrar o que acontece quando o icônico e o luxuoso hotel Taj Mahal, bastante conhecido pela quantidade de estrangeiros e artistas que nele se hospeda, é dominado pelos terroristas.

Quando as mortes começam, o humilde funcionário Arjun (Dev Patel, que ficou conhecido por seu papel em Quem Quer Ser um Milionário?), assim como o chef Hemant Oberoi (Anupam Kher) tentam ajudar todos a se protegerem das execuções, enquanto David (Armie Hammer) e Zahra (Nazanin Boniadi) buscam algum meio de retornar ao quarto em que estão hospedados, já que nele está seu bebê e Sally (Tilda Cobham-Hervey), sua babá.

O clima é de terror total, mas também existe espaço para o drama. Além de mostrar os desespero dos hóspedes e funcionários do hotel, o filme também explica, mesmo que de forma superficial, o porquê dos terroristas, todos jovens rapazes, estarem realizando os ataques. E este é outro ponto positivo para o filme: a ideia não é criticar nenhuma religião e sim tentar transmitir o medo de todos que estavam envolvidos naquela situação e o que levou a ela.

Atentado ao Hotel Taj Mahal vai agradar a quem gosta de filmes com muita ação e suspense. São raros os momentos mais calmos que, na verdade, são as cenas mais dramáticas. A história já prende desde o início e nos faz refletir, mesmo após a exibição dos créditos. Recomendadíssimo.

 

 

Avaliação do Cinéfilos Anônimos
Avaliação dos Visitantes do site
[Total: 0 Média: 0]

Bem-vindo a Wonderland! Eu amo cinema, séries, livros, viajar e música. Sempre em companhia de um delicioso café, claro. Ah, também queria aprender a tocar guitarra.