Belim Alexanderplatz

Berlim Alexanderplatz retrata como o submundo explora os mais fracos.

Baseado no romance homônimo de grande sucesso escrito em 1929 por Alfred Döblin, é a terceira adaptação para telas da mesma obra. A primeira vez foi em 1931 e depois teve uma série de TV em 1980.
A riqueza do romance gerou uma adaptação repleta de imagens e significados para o cinema e para a juventude da atualidade.
O enredo adaptado traz a temática dos refugiados em Berlim, e as dificuldades que eles enfrentam para se manter fora das práticas ilegais.
A dificuldade do protagonista Francis, interpretado por Welket Bungué, em se manter como uma pessoa boa e se redimir de seus erros é o pano de fundo do enredo, como um todo.

Alexanderplatz

Longo, porém envolvente.

O filme é divivido em 5 partes e um epílogo mantendo uma referência ao romance. É muito bem dirigido por Burhan Qurbani de forma que as 3 horas de filmes são bem preenchidas e mantém o mesmo ritmo do começo ao fim, sem marasmo ou sensação de tempo perdido.

Um passeio pela praça Alexanderplatz.

Tudo acontece ao redor da praça Alexandreplatz em Berlim, que já era um ponto turístico importante no início do século XX. E muitos personagens importantes aparecem na história de Francis, entre eles pode se destacar Reinhold (Albrecht Schuch) que mantinha negócios ilícitos na região e rapidamente se aproximou de Francis deixando-o cada vez mais envolvido no ramo do crime.

Francis (Welket Bungué), Reinhold (Albrecht Schuch)

Outra personagem importante é a prostituta Mieze (Jella Haase), com quem Francis tem momentos mais verdadeiros em uma relação bastante delicada.

O cenário foi desenhado nos arredores do grande praça Alexandreplatz. O filme fala do submundo de Berlim, portanto tem muitos corredores e casas noturnas, por isso muitas cenas acompanham o personagem da ação por entre os corredores e nas baladas. A paisagem da praça também é bem explorada pela fotografia que usa cenas de drones para gerar belas panorâmicas do local. 

Confira a classificação indicativa. 

O filme pode agradar o público jovem por trazer muitos elementos atuais das noites alucinadas, mas também agradará o público mais exigente por conta do enredo muito bem amarrado, com muitos personagens fortes, todos conectados e importantes para o tema. Repleto de vaidade, jogo de poder, violência, drogas e sexo, o enredo ainda tenta trazer algum sentido moral com as tentativas de Francis de ser um bom homem.

Alexanderplatz

Essa luta do homem para se manter bom, mesmo em condições desfavoráveis, é uma temática eterna, que pode se passar milhares de anos e ainda será atual. Chegaram a comparar o enredo original com a história bíblica de Jó. Portante, pode mudar o que a sociedade considera errado, mas sempre teremos pessoas fazendo o que é errado e depois de se arrepender tentando voltar a vida pacata. E sempre teremos alguém explorando os mais fracos.
Portanto, é um filme sobre a humanidade.

Nossa vídeo crítica

Esteve na 44ª Mostra de Cinema Internacional de São Paulo.

Berlin Alexanderplatz (2020) – 3h03min – Drama – (Alemão)
Estreia no Brasil dia 18 de Fevereiro de 2021.

Avaliação do Cinéfilos Anônimos
Avaliação dos Visitantes do site
[Total: 0 Média: 0]

Crítico de formação livre pela Casper Líbero. Músico baterista, que trabalha com tecnologia, leitor de quadrinhos de heróis e livros de ficção. Como fã da série Star Trek busca analisar e escrever suas críticas com a coerência e a ética dos capitães das naves da Federação dos Planetas Unidos. Vida e longa e próspera a todos.