Se você ainda não assistiu BIG LITTLE LIES temos 7 motivos para você ver e rever a série

Compartilhe

A minissérie dramática, baseada no romance homônimo de Liane Moriaty, conta a história de  três mães que se aproximam quando seus filhos passam a estudar na mesma escola primária. À primeira vista, a vida delas é perfeita, no entanto, conforme vamos conhecendo mais a fundo o dia-a-dia de cada uma e o desenrolar dos acontecimentos, coisas terríveis vêm à tona como segredos sórdidos, subversão e assassinato.

Vencedora de oito Emmys e do Globo de Ouro de 2018 como melhor minissérie para televisão, com apenas sete episódios, Big Little Lies é uma grata surpresa ao espectador, e por isso, listamos sete motivos para se deliciar com a história.

 

1 – Temas relevantes

Não se deixe enganar pelas aparências. Num primeiro momento, a série parece tratar apenas de mulheres ricas e fúteis e que, a única mais “normal” é a Jane (Sheilene Woodley) recém-chegada à cidade de Monterey com o filho pequeno. No entanto, a cada episódio camadas de cada um vão sendo reveladas ao público, e temas como violência doméstica, traição, estupro, assassinato e bullying são explorados.

 

2 – Trilha sonora

A série inovou na hora de apresentar a trilha sonora ao público. A mesma é apresentada por uma personagem, Chloe Mackenzie (Darby Camp), uma menina de 6 anos de idade, filha da personagem Madeline (Resse Whitherspoon). Ela está sempre com o celular em mãos, pronta para criar playlists de acordo com cada momento vivido na série. As canções trazem elementos indie-pop, folk e abusam de artistas não tão conhecidos para ditar o tom melancólico que permeia pelo seriado e seus personagens.

 

3 – Elenco (e que elenco)

Por si só, o elenco de Big Little Lies dispensa apresentações. Com nomes de peso como Nicole Kidman, Reese Whiterspoon, Adam Scott, Laura Dern e Alexander Skarsgard e suas respectivas atuações, deixam a série ainda mais atraente para o público. Com destaque para a personagem Celeste, interpretada por Nicole Kidman que sofre violência doméstica e tem que manter as aparências de um casamento sólido e feliz, é um espetáculo à parte.

 

4 – Representatividade feminina

Nunca o empoderamento feminino esteve tão presente na sociedade. Claro, ainda de forma tímida e sabe-se que há muito o que caminhar mas neste aspecto, Big Little Lies por ter como foco apenas mulheres,  nos mostra com muita propriedade, não apenas as angústias, dores e os obstáculos que elas têm de enfrentar no dia-a-dia, mas principalmente sua força e mais do que nunca prova que, quando se unem, são imbatíveis.

 

5 – Roteiro

Extremamente bem escrito, coeso e contado de forma não linear, o que  contribui para aumentar a expectativa do público, esse é outro ponto alto da série. A trama é muito bem desenvolvida e podemos conhecer a fundo cada personagem. Repleta de viradas, suspense e mistério, a cada episódio queremos saber mais e mais das mulheres de Monterey e do segredo que elas guardam.

6 – Elenco infantil

Na série, as crianças também têm importância fundamental na história e conquistam pela fofura e carisma. Eles unem, separam as mães, garantem os momentos mais engraçados da série (e alguns tensos também) e mostram que são grandes talentos, apesar do tamanho.

 

7 – É uma minissérie

Para quem gosta de maratonar, Big Little Lies é deliciosa. Por ser curtinha, com apenas SETE EPISÓDIOS de pouco mais de 40 minutos de duração, nem sentimos o tempo passar. E ao final, ainda ficamos um pouco “órfãos” e cheios de questionamentos. As gravações da segunda temporada estão a todo vapor e trazem uma novidade: desta vez, a série terá a presença da diva Maryl Streep no papel da mãe do marido de Madeline que promete esquentar ainda mais a trama.

 

 

 

Avaliação do Cinéfilos Anônimos
Avaliação dos Visitantes do site
[Total: 0 Média: 0]

CONTEÚDO RELACIONADOS

Compartilhe

Colaboradora do Cinéfilos Anônimos, 31 anos, jornalista. Amante dos animais, da sétima arte e de todas as outras