Crítica: Entre Facas e Segredos vai te levar a um tabuleiro de Detetive no estilo Agatha Christie.

O que seria uma simples reunião familiar para se comemorar o 85º aniversário do dono da mansão acabou se tornando uma espécie de tabuleiro do jogo Detetive, onde temos vários suspeitos de um assassinato que poderia até mesmo ser considerado suicídio. O cenário era uma mansão excêntrica por ter diversos animais empalhados, móveis rústicos, muitas facas e segredos.

(Ouça a trilha sonora enquanto lê a crítica.)

Christopher Plummer

Para resolver o caso, os policiais tiveram a ajuda do detetive particular Benoit Blanc (Daniel Craig), e todos que estiveram na mansão dos Thrombey na noite da festa de aniversário são suspeitos. A vítima ou suicida foi Harlan Thrombey (Christopher Plummer) que no dia de seu aniversário tinha o acompanhamento da sua enfermeira particular latino-americana Marta Cabrera (Ana de Armas), além de toda a família presente na mansão, incluindo filhos e agregados, entre eles Walt Thrombey (Michael Shannon), Joni Thrombey (Toni Collette), Linda Drysdale (Jamie Lee Curtis), Richard Drysdale (Don Johnson) e Ransom Drysdale (Chris Evans).

 

Entre Facas e Segredos tem piadas sutis em clima tenso.

Jamie Lee Curtis

O enredo é muito divertido e bem amarrado. Com piadas sutis podemos notar as críticas a respeito da hipocrisia presente na maioria dos ricos que fizeram sua fortuna baseada nas fortunas de seus antepassados. Além de criticar a xenofobia norte-americana que não consegue distinguir qualquer diferença entre os países da América Latina.

O diretor Rian Johnson usou de vários closes e slow motion para direcionar o espectador na trama, permitindo que a verdade fosse revelada aos poucos sem comprometer o final surpreendente. Além disso, a trilha sonora feita com o uso reforçado do violino e notas agudas do piano conseguiram criar o clima de suspense ideal.

 

Você vai associar James Bond, Capitão América, Agatha Christie e Holmes.

Chris Evans

Tanto Chris Evans quanto Daniel Carig fizeram um ótimo trabalho de criação de personagem, emprestando apenas a face ao personagem, criando trejeitos particulares e exclusivos para o filme. Esse filme deu o espaço merecida a Ana de Armas que protagonizou esse filme ao lado de Daniel Craig a maior parte do filme.

Não tem como não associar aos melhores clássicos literários de Agatha Christie ou até mesmo aos de Arthur Conan Doyle (Sherlock Holmes). Cada cena esconde um mistério e revela outro. O suicídio ou assassinato ocorre logo nos primeiros 10 minutos de filme e começa uma apresentação dos agentes entrevistando cada pessoa que esteve naquela festa. A partir daí tanto os agentes quanto o espectador vão juntando peças das declarações de cada personagem para criar seus suspeitos principais.

Piada de Cinéfilo: Será que foi o Tony Stark que chamou o James Bond para investigar o Capitão América depois da Guerra Civil?

Foto de Família

 

Avaliação do Cinéfilos Anônimos
Avaliação dos Visitantes do site
[Total: 0 Média: 0]

Professor de exatas e músico baterista, sempre trabalhou com tecnologia como desenvolvedor. Leitor de quadrinhos de heróis e livros de ficção. Como fã da série Star Trek absorveu a lógica do Sr Spock e muito do comportamento social presente nos capitães das naves da Federação. Vida e longa e próspera a todos.