Crítica | Rampage: Destruição Total traz muita ação e cenas divertidas

Compartilhe

Fãs de filmes de aventura, preparam-se! Rampage: Destruição Total chega com tudo às telas do cinema e não decepciona a quem gosta de muita ação e poucos diálogos. Estrelado por Dwayne Johnson e com participação de Jeffrey Dean Morgan (o amado-odiado vilão Negan da série The Walking Dead), logo nas primeiras cenas o longa mostra a que veio. É diversão certa!

Rampage: Destruição Total é baseado em uma game do mesmo nome, produzido pela Midway Games e que fez muito sucesso nos anos 80 (aliás, olha só, mais uma vez a década sendo homenageada, assim como foi no recente Jogador Número 1, de Steven Spielberg).

No jogo que deu origem ao filme, a cidade americana de Chicago é atacada por um gorila, um lobo e um crocodilo, todos gigantes, que sofreram mutações devido a uma empresa que usa a tecnologia biológica com más intenções. Obviamente, o jogador tinha como meta salvar o mundo dessas terríveis criaturas.

O filme sofreu algumas pequenas alterações em relação ao jogo, mas a essência continua. Aliás, uma dica: vale a pena assistir em 3D, viu? Em Rampage: Destruição Total,  Davis Okoye (Dwayne Johnson) é um primatologista recluso, não muito fã de humanos, que compartilha um vínculo com George, um gorila muito inteligente que está sob seus cuidados desde o nascimento. Aliás, a amizade entre os dois rende risadas e lágrimas.

Mas, tudo vira uma bagunça quando um experimento genético desonesto é feito em uma nave e acaba se perdendo pelo espaço, literalmente. Depois de uma explosão, cápsulas com o material biológico do mal caem em alguns pontos da Terra. Com isso, além de George, o gorila, um lobo e um crocodilo são atingidos e se transformam em monstros bem destrutivos e descontrolados.

Não dá pra contar mais que isso, senão já vira spoiler. Mas dá para imaginar quem vai ser o responsável para salvar o mundo, não é mesmo? Isso mesmo, o personagem de Dwayne Johnson. Como sempre, suas habilidades físicas são exploradas nas cenas e diálogos. O espectador tem a sensação que já viu aquele personagem antes, mas o ator é tão carismático que no fim, isso pouco importa.

Rampage: Destruição Total é bem bacana e traz ação do início ao fim. Ao tema que se propõe, acerta em cheio. É aquele tipo de história que quando a sessão acaba, você nem percebeu que o tempo passou. Vale a aventura!

 

 

Avaliação do Cinéfilos Anônimos
Avaliação dos Visitantes do site
[Total: 1 Média: 2]

CONTEÚDO RELACIONADOS

Compartilhe

Bem-vindo a Wonderland! Eu amo cinema, séries, livros, viajar e música. Sempre em companhia de um delicioso café, claro. Ah, também queria aprender a tocar guitarra.