Crítica | X-Men: Fênix Negra fracassa no desfecho do seu arco narrativo

Finalmente a franquia X-Men chega ao fim com o último filme “X-Men: Fênix Negra”, estrelado por Sophie Turner, como a protagonista Jean Grey. Cercado por obras fracassadas, mais uma vez, a franquia não fecha bem o seu arco narrativo. O longa funciona se pensarmos nele como filme solo e não como um desdobramento de uma história inteira de X-Men.

A narrativa é contada inicialmente quando Jean (Sophie Turner) era criança e causou o acidente dos seus pais, cujo a mãe foi morta. Os conflitos dela foram resolvidos após conhecer o professor Xavier (James McAvoy) que a levou para morar no instituto junto com outros mutantes. Após anos, a história dos mutantes mostra a aceitação da população e o quanto eles são ovacionados. Depois de uma missão convocada pelo presidente dos EUA, a equipe vai até o espaço e Jean se arrisca salvando as vitimas. Tudo isso acaba aflorando seu lado obscuro e torna-se muito poderosa.

Sophie Turner em X-Men: Fênix Negra

Infelizmente o último filme da franquia deixa a desejar em vários aspectos. O roteiro contendo diversas falhas deixam as atuações rasas de estrelas como McAvoy, Turner e Jessica Chastain. A ideia de fazer uma vilã poderia até dar certo, mas o roteiro limitou Jessica, a Smith. Sem explicações plausíveis para as motivações da vilania, a personagem de Chastain é ofuscada pelos efeitos especiais e as ações de confronto, únicos pontos que “salvam” o desfecho.

Um desperdício de impacto na trilha sonora de Hans Zimmer. O conhecido maestro alemão fica em segundo planos apesar de suas ideias geniais na música. O filme não acompanha outros trabalhos do compositor.

Cena de X-Men: Fênix Negra

Ainda que o elenco de X-Men: Fênix Negra seja de grandes nomes, o roteiro foi inferior ao que poderia ser desenvolvido em casa um dos personagens. Seria esperado que as cenas do Mercúrio (Evan Peters) fossem avassaladoras e Noturno mais presente na personalidade que foi evidenciada apenas no final.

A maquiagem e figurino transpassam desinteressa da produção de fazer um grande filme. O potencial da personagem Jean deveria ser gritante nas telas e não algo tão inseguro.

O grande segredo para assistir “X-Men: Fênix Negra” é assistir sem expectativas e não colocar na balança de que esse é o desfecho final para toda a franquia e pensar no longa como um filme solo de Jean.

 

 

Avaliação do Cinéfilos Anônimos
Avaliação dos Visitantes do site
[Total: 0 Média: 0]

Mestre em Comunicação e Produtora Musical. Fissurada no mundo Geek e apaixonada por adaptações de livros para cinema. Amante da música, cultura pop e cinema. Gosta tanto de contos de fadas que resolveu pesquisar 2 anos a história de Cinderela.