Crítica | Era uma Vez Deadpool comprova que o mercenário tagarela é mesmo um mercenário tagarela

Compartilhe

Deadpool 2 estreou em maio deste ano com a promessa de levar para as telas altas doses de violência extrema, piadas de humor negro, sátiras ao universo das HQs, palavrões intermináveis e pitadas de escatologia. A promessa foi cumprida e agradou muito aos fãs do mutante. Entretanto, devido aos ingredientes característicos de Deadpool, o limite de idade ficou para acima de 16 anos. Com isso muitas famílias acabaram não podendo assistir um filme que se dizia “família”.

Porém, como um bom mercenário tagarela, o nosso querido mercenário tagarela mostra que realmente é um mercenário descarado. E tagarela. Era uma Vez Deadpool nada mais é do que o MESMO filme, porém com um corte onde as cenas de violência e palavrões foram excluídas. Para completar as quase duas horas de filme, foram inseridas cenas de um quarto onde Wade Wilson vai contar o filme ao ator Fred Savage, aquele eterno garotinho fofo de Anos Incríveis.

Fred desperta depois de, aparentemente, três dias descordado e se vê preso à uma cama num cenário de A Princesa Prometida. Ao seu lado, sentado em uma cadeira e segurando um livro típico de contos de fadas, está Deadpool vestindo seu traje. Explicadas as regras sobre não falar palavrões, Wade inicia sua narração da “versão família” de seu filme. Daí em diante temos o mesmo filme já exibido no meio do ano, com algumas atualizações de piadas envolvendo os estúdios Fox-Disney-Marvel.

Em Deadpool 2 Wade Wilson (Ryan Reynolds) está desenganado com a vida após os acontecimentos com sua namorada Vanessa Carlyle / Copycat (Morena Baccarin), mas ainda conta com o apoio motivacional de seu eterno fã, Dopinder (Karan Soni) e de seu amigo Colossus (Stefan Kapičić). Com isso Deadpool aceita ser trainee dos X-Men e vai atender a uma ocorrência onde o garoto Rusty Collins (Julian Dennison) está incendiando uma clínica de mutantes. Obviamente tudo dá errado e, para decepção definitiva de Piotr Rasputin, Wade acaba sendo preso juntamente com o mutante adolescente.

Na prisão o jovenzinho se rebela mais ainda e decide se tornar Fire Fist, que será implacável contra quem atormenta os mutantes. E para isso irá se aliar a um vilão ainda mais perigoso, ressurgido dos confins do universo Marvel da década de 1980: Fanático! Para evitar que Fire Fist se torne o terrível vilão que irá destruir o planeta, um super-soldado retorna do futuro apocalíptico para eliminar o mal em sua raiz. Cable (Josh Brolin) simplesmente aparece do nada e começa sua caçada pelo adolescente. Com isso, Deadpool decide criar um grupinho vigilante paralelo e aí está formada a X-Force!

Nas cenas pós créditos os fãs da Marvel são agraciados com uma grata surpresa: um clip de Stan Lee gravando suas participações em alguns filmes, trechos de entrevistas e algo mais para fazer cair algumas lágrimas.

 

 

Avaliação do Cinéfilos Anônimos
Avaliação dos Visitantes do site
[Total: 1 Média: 4]

CONTEÚDO RELACIONADOS

Compartilhe

Tercio Strutzel ama histórias, seja no cinema, séries, livros ou quadrinhos! Foi editor do fanzine Paralelo, mas hoje quase não consegue desenhar. Se especializou em Presença Digital, mas tem diversos projetos fervilhando na mente. Está sempre em busca de atividades culturais por São Paulo.