This Is Us e a arte de dominar nossas emoções

Compartilhe

Escrita e produzida por Dan Fogelman (“Crazy, Stupid, Love”), This Is Us é uma série premiadíssima, que conquista todos os dias milhares de fãs pelo mundo ao retratar temas relevantes, que acontecem com pessoas comuns e que poderiam ocorrer com qualquer um de nós e nossos familiares, como o complexo de peso, a perda de um bebê, a procura pelos pais biológicos, o racismo, o alcoolismo, o luto, a dificuldade em criar um filho adotivo e muito mais.

Com cenas de Jack (Milo Ventimiglia) e Rebecca (Mandy Moore) como um casal jovem de pais nos anos 80, a série acompanha a história da família Pearson ao longo de décadas, alternando com a vida adulta de seus filhos Kate (Chrissy Metz), Kevin (Justin Hartley) e Randall (Sterling K. Brown). E o fato de ter cada episódio retratado em duas épocas diferentes é uma das coisas mais fascinantes da série.

ATENÇÃO: Alerta de spoiler das duas primeiras temporadas!

 

Vamos relembrar os principais acontecimentos que rolaram até o momento?

Na primeira temporada, vimos uma família com problemas normais, conhecemos cada personagem intensamente e nos sentimos no lugar deles, descobrimos a morte de um dos personagens mais amáveis da televisão e o amamos mais a cada episódio, vimos atuações espetaculares e nos emocionamos em diversos momentos, e, por fim, nos entristecemos no final da temporada e ficamos ainda mais ansiosos pela continuação.

Jack e Rebecca se tornaram aquele casal que nós não conseguíamos imaginar separado e quando tal fato aconteceu foi totalmente inesperado para nós e para seus filhos. A causa da morte de Jack sendo revelada aos poucos foi muito bem planejada e nos fez imaginar diversas possibilidades do que poderia ter acontecido, nos deixando cada vez mais ansiosos para acompanhar os próximos episódios e finalmente descobrir o ocorrido.

William (Ron Cephas Jones), pai biológico de Randall, foi nos cativando aos poucos e acabou fazendo muita falta na segunda temporada, sendo que, além de ser uma ótima companhia para Beth (Susan Kelechi Watson) e para as meninas e aconselhar a todos da família, poderia ter feito a diferença em relação ao comportamento de Deja. E por falar nela, Deja (interpretada pela talentosa Lyric Ross) entrou na série no momento certo, mostrando todas as dificuldades que é adotar uma jovem crescida e vimos como isso mexeu com cada personagem ao longo da temporada. Para Randall e sua esposa Beth, essa decisão, por diversos momentos, parece não ter sido uma boa ideia. O casal enfrenta todas as dificuldades possíveis para conseguir aproximar-se, educar e cuidar de Deja, ao mesmo tempo em que a garota só quer saber quando sua mãe volta para buscá-la. Com o tempo, é possível observar uma grande transformação em suas atitudes, ainda que o final da temporada nos traga algumas surpresas.

Enquanto Randall deixar de ser um workaholic para se tornar um pai de família caseiro, que só quer ver suas três filhas felizes, Kevin ganha problemas mais sérios na segunda temporada e deixa de ser apenas um ator fracassado para ganhar papéis melhores e se tornar viciado em remédios, criando uma dependência grande o suficiente para atrapalhar sua vida pessoal e profissional. Além disso, passamos a conhecer o ponto de vista de Kevin em relação ao passado com cada membro da família e entendemos o porquê de sua dificuldade em falar sobre a morte de seu pai. Já sua irmã, Kate, começa a temporada mais decidida do que nunca a ir atrás do sonho de ser cantora, até que alguns obstáculos no meio do caminho voltam a mexer com seu estado emocional, levando-a a adiar sua carreira por tempo indeterminado. Em meio a tudo isso, a reaproximação com a mãe chega no momento certo para ajudar Kate a se reerguer.

 

Mas afinal, por que This Is Us mexe tanto com nossas emoções?


Quem nunca teve um desentendimento com alguém da família? Ou conhece alguém com dificuldade para emagrecer e que desconta suas emoções na comida, ou alguém que teve complicações na gravidez, ou já teve que lidar com o luto de alguém muito querido? Pois é justamente isso o que o diretor faz com a gente, nos apresenta a DRAMAS REAIS e NECESSÁRIOS, que já passamos ou ouvimos falar, e que nos envolvem mais e mais a cada episódio, como nenhuma outra série dramática antes vista.

 

E o que dizer sobre esse elenco?

Cada um deles nos comove de forma única, a começar por Milo Ventimiglia. O eterno bad-boy “Jess”, de Gilmore Girls, cresceu e faz não somente a família Pearson o amar cada dia mais, como todos nós. Milo interpreta um pai que adora mimar os filhos e faz de tudo para vê-los felizes, enquanto sua esposa Rebecca tenta ser mais firme e racional com cada um deles. Ela é aquela mãe clássica que se preocupa excessivamente com os filhos e procura ajudá-los em qualquer situação. Aliás, muito bem interpretada por Mandy Moore (Um Amor Para Recordar), que consegue expressar em Rebecca todas as características de uma mulher forte, que se esforça para ser a mãe ideal, que seus filhos querem por perto, ao mesmo tempo em que tenta lidar com a ausência do homem de seus sonhos e ser feliz com Miguel (Jon Huertas). Personagem esse que não agrada tanto, mas acaba sendo uma boa companhia para Rebecca no momento em que seus filhos já vivem suas vidas de adultos.

Em relação ao “big trio”, todos eles atuam super bem, demonstrando as manias, os sonhos e medos de seus personagens de forma única, fazendo o espectador se sentir na pele de cada um deles. Vimos o progresso de cada personagem nas duas primeiras temporadas, mas também acompanhamos de perto as suas falhas. Percebemos que eles são pessoas reais, como eu e você, que arriscam, que acertam e erram muitas vezes, mas que nunca desistem de lutar pelos seus objetivos.


E a terceira temporada, o que sabemos até agora?

De acordo com o criador Dan Fogelman, a nova fase vai acompanhar Kevin em uma viagem para descobrir sobre a experiência de Jack durante a Guerra do Vietnã. Também teremos a revelação do mistério por trás do flashfoward no final da segunda temporada, na cena em que Randall e a versão adulta de Tess (Iantha Richardson) visitam alguém, e vamos ver Kate ter que lidar com a depressão de Toby (Chris Sullivan), personagem que ganha mais destaque nesta temporada, assim como Beth. A próxima temporada também vai explorar a relação entre Miguel e os filhos de Rebecca, principalmente a aproximação com Randall e Kate.

Além do elenco fixo, já estão confirmados nesta temporada a maravilhosa Lyric Ross (Deja), que foi o ponto alto da segunda temporada, e a Melanie Liburd, que foi apresentada no final da segunda temporada como a prima de Beth, Zoe. Zoe e Deja, inclusive, compartilharam uma cena emocionante no final da temporada. E para quem se preocupa se Jack vai aparecer menos na nova temporada, a boa notícia é que o ator Justin Hartley contou em uma conferência para a imprensa da NBC que a terceira temporada da série será ainda maior para Jack (os fãs agradecem, rs).

A terceira temporada de This Is Us estreia dia 25 de setembro no canal norte-americano NBC. No Brasil, a série é transmitida pelo canal FOX.

E enquanto aguardamos ansiosamente pelo retorno, que tal pegar algumas caixinhas de lenços e encarar uma maratona? As duas primeiras temporadas estão disponíveis no FOX App, para assinantes FOX Premium de TV por assinatura e assinantes do plano FOX+.

E aí, cinéfilos… ansiosos pela continuação?

 

Confira o teaser da 3ª temporada:

 

 

 

CONTEÚDO RELACIONADOS

Compartilhe

Jornalista e paulistana, apaixonada por São Paulo e por toda a cultura e o lazer que esta cidade oferece. Desde pequena admirada pela sétima arte e fascinada por sua evolução e sua influência na vida das pessoas das mais diversas culturas e classes sociais.