Crítica: Mulheres Alteradas traz elenco feminino em perfeita sintonia

Compartilhe

Mulheres Alteradas é um filme nacional baseado nos quadrinhos de Maitena, a conceituada cartunista argentina que alcançou fama mundial retratando diferentes dilemas femininos. E é exatamente isso que o espectador encontra ao assistir o longa estrelado por Alessandra Negrini, Deborah Secco, Monica Iozzi e Maria Casadevall: quatro mulheres mostram suas insatisfações, inseguranças, desejos e decisões em um ritmo frenético e com pitadas de comédia.

Como Mulheres Alteradas é baseado em HQs, o desafio de adaptar o roteiro do filme para as telonas ficou a cargo do cartunista brasileiro Caco Gualhardo. Depois de muito pensar no melhor caminho para isso, ele decidiu que a essência dos quadrinhos de Maitena deveriam vir por meio das personagens. A história é inédita e cada personagem principal representa algum tema que já foi abordado nas tirinhas da escritora argentina.

O enredo do filme longa gira em torno de quatro mulheres que enfrentam problemas bem particulares. O casamento de Keka com Dudu está em crise. Marinati é uma workaholic que se apaixona por Christian. Leandra sente-se insegura pelo fato de ainda não ter constituído família. Sônia está cansada da rotina doméstica e sonha com a época em que era solteira. E com isso, as situações cômicas vão acontecendo. Alguns enredos se misturam, outros correm paralelamente.

De maneira geral, Mulheres Alteradas é um filme superficial, feito especificamente para divertir. Algumas situações são absurdas e surreais, mas é exatamente nesse ponto que se percebe que a inspiração realmente vem do universo dos quadrinhos.

 

Atrizes em sintonia

O ponto positivo são as atuações das atrizes, que estão bem à vontade em seus papéis. O diretor Luis Pinheiro também merece destaque por tentar algo diferente e oferecer um filme repleto de planos sequências, algo que raramente se vê em comédias, principalmente as nacionais.

Vale também destacar a participação dos atores Sérgio Guizé e Daniel Boaventura, que dão um toque todo especial à trama, mesmo com destaque menor. A verdade é que todas as cenas foram feitas para as atrizes brilharem. E Alessandra Negrini, Deborah Secco, Monica Iozzi e Maria Casadevall conseguem. Elas realmente vivem mulheres alteradas (no bom sentido).

Ponto negativo: o longa tenta ser engraçado o tempo todo, mas a verdade é que algumas vezes as piadas não têm graça. Apesar de abordar dilemas femininos reais, não é um filme que traz questionamentos pessoais depois que se assiste.

Mas esse fato não desmerece Mulheres Alteradas, afinal, percebe-se a tentativa de fazer algo inovador e diferente do que se costuma ver por aí. Sua intenção é ser descontraído e divertido. Para quem procura algo leve, estilo Sessão da Tarde, pode ser uma ótima escolha.

Avaliação do Cinéfilos Anônimos
Avaliação dos Visitantes do site
[Total: 1 Média: 4]

CONTEÚDO RELACIONADOS

Compartilhe

Bem-vindo a Wonderland! Eu amo cinema, séries, livros, viajar e música. Sempre em companhia de um delicioso café, claro. Ah, também queria aprender a tocar guitarra.