Série da Netflix “Sex Education” debate questões minoritárias

Compartilhe

Homossexualidade, negritude e gênero são alguns temas abordados pela produção

A Netflix lançou nas últimas semanas a série britânica “Sex Education”, criada por Laurie Nunn. Os episódios propõe ao espectador uma reflexão sobre diversos temas que estão em pauta atualmente: homossexualidade, feminismo, gênero, masturbação, aborto, negritude, entre outras.

O foco da série, em geral, é discutir o que se considera “tabu” e desconstruir conceitos enraizados na sociedade.

O enredo conta a história de Otis Milburn (Asa Butterfield), filho de uma terapeuta sexual (Gillian Anderson) que decide usar indiretamente os conselhos de sua mãe em troca de dinheiro. Tudo com apoio de sua amiga Maeve (Emma Mackey) e a fim de ajudar os colegas de escola a enfrentarem problemas sexuais.

Ainda assim, por mais que Otis aconselhe os alunos, não consegue resolver o problema com a própria sexualidade.

A partir daí, de forma sensível e engraçada, “Sex Education” mostra os dramas e alegrias de adolescentes sonhadores, apaixonados e cheios de dúvidas.

O elenco também conta com a participação de Ncuti Gatwa interpretando Eric, melhor amigo de Otis. O jovem, que sofre bullying por ser gay, enfrenta inseguranças e reafirma positivamente sua identidade e suas convicções tanto na escola quanto na família.

Em meio a política bolsonarista que apoia a chamada “escola sem partido”, projeto de lei que visa proibir os professores de ensinarem questões ideológicas em sala de aula, a série relembra a importância do ensino sexual. Esse que, segundo especialistas, permite a autoproteção do ser e a prevenção de casos de abuso e exploração.

 

 

 

Avaliação do Cinéfilos Anônimos
Avaliação dos Visitantes do site
[Total: 1 Média: 5]

CONTEÚDO RELACIONADOS

Compartilhe

Quase jornalista, pseudo socióloga e fotógrafa e acredita que a arte pode mudar o mundo.