Crítica: Um Pequeno Favor é moderno e mescla humor com ironia

Mais um thriller está em cartaz, e dessa vez, estrelado por Anna Kendrick e Blake Lively. “Um Pequeno Favor” é um suspense baseado no livro de Darcey Bell, no estilo de “Garota Exemplar”, moderno, com uma pitada de humor e muita ironia.

A vloger Stephanie (Anna Kendrick) é o estilo da mãezona super protetora que não perde uma reunião escolar do filho. Certo dia, ela faz amizade com a misteriosa Emily (Blake Lively), mãe de Nicky (Ian Ho), coleguinha de classe de seu filho. Após Emily a convidar para beber em casa, Stephanie começa a se envolver cada dia mais da vida da nova amiga, que além de muito elegante, aparenta ter tudo o que quer: uma bela casa, emprego, dinheiro e um ótimo marido. A narrativa toma seu arco quando Emily pede a Stephanie que busque Nicky na escola e fique com ele por um dia. O grande problema é que Emily não voltou para busca-lo. O desaparecimento teve grande alvoroço na cidade e ficou a seguinte pergunta: o que aconteceu com Emily?

Aqui temos duas atrizes bem conceituadas que deixam o elenco do filme em destaque. Anna está muito bem na atuação, mas é Blake quem está mandando ver em seu personagem. A loira conduz facilmente a trama inteira com seu charme e potencial artístico. Sem dúvida, as duas estão em harmonia nas duas horas de narrativa.

Em alguns momentos a investigação do desaparecimento de Emily, fica confusa. Demoramos um pouco a entender a ligação dos fatos. A história de Darcey Bell é repleta de reviravoltas e a tradução da escrita para o demonstrativo cinematográfico, apesar das confusões, deixa o espectador satisfeito com as surpresas.

A trilha sonora foi minimamente pensada. A abertura de “Um Pequeno Favor” nos ambienta com a música bolero/tango para um clima elegante e refinado, representado pela vida de Emily. A sutileza nesse pensamento sonoro revela o quanto a narrativa gira em torno da amiga de Stephanie.

A estética do filme proporciona convergência entre o roteiro e a produção. Em vários momentos as cenas ficam um tanto exageradas pelo humor, mas deve-se ao fato de tudo ao redor da poderosa Emily ser contrastado com a personalidade dela.

A história tem por objetivo passar uma mensagem social sobre aparências. Nem tudo que vemos ou pensamos que conhecemos é real. Stephanie é uma vloger que por ser tão certinha, os outros pais dos alunos da escola do filho não gostam dela. Assim, ela é sempre alguém sozinha até encontrar Emily, que é imponente, segura e sustenta praticamente a casa, ainda que o seu marido Henry (Sean Townsend-Nelson) seja um ótimo homem e pai.

Por fim, a amizade entre Stephanie e Emily é uma divertida história com vários pontos inesperados e com ressalto na ótima e bela interpretação de Blake Lively.

 

Avaliação do Cinéfilos Anônimos
Avaliação dos Visitantes do site
[Total: 1 Média: 4]

Mestre em Comunicação e Produtora Musical. Fissurada no mundo Geek e apaixonada por adaptações de livros para cinema. Amante da música, cultura pop e cinema. Gosta tanto de contos de fadas que resolveu pesquisar 2 anos a história de Cinderela.